13/06/2018

Pará: Secretaria de Comunicação publica edital de concurso público

A Secretaria de Estado de Administração (Sead) publicou nesta quarta-feira (13) o edital do concurso público destinado ao provimento de vagas em cargos de Nível Superior na Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). Os salários ofertados são acima de R$ 3 mil. 

O certame, que estará sob a responsabilidade da AOCP Concursos Públicos, vai ofertar cinco vagas para jornalismo, uma para publicidade e uma para relações públicas, com carga horária de 30h semanais. A seleção será feita em três etapas: prova objetiva (de caráter eliminatório e classificatório) e prova discursiva (de caráter eliminatório e classificatório), previstas para o dia 2 de setembro, e avaliação de títulos. O resultado final está previsto para o dia 14 de novembro.

As inscrições ocorrem no período de 20 de junho a 24 de julho, exclusivamente pelo site www.aocp.com.br. O valor da taxa de inscrição será de R$ 89. Locais, datas e horários das provas serão divulgados na página da AOCP e no Diário Oficial do Estado, na data provável de 10 de agosto.

O edital completo está disponível na edição de hoje do Diário Oficial do Estado, a partir da página 11.

Reprodução: Diário do Pará

Prêmio Banco Central de Economia e Finanças - 2018

TemasPolítica Monetária, Estabilidade Financeira ou Cidadania Financeira
Prêmio28 de Março de 2018 a 3 de Outubro de 2018
Inscrições21/05 a 30/07/2018 às 14h
Resultado20 de Setembro de 2018, no site do BC e no Diário Oficial da União
Público-alvoAutores de qualquer nacionalidade e formação acadêmica (graduação ou pós-graduação)
Contatopremio.bcb@bcb.gov.br

A solenidade de entrega dos prêmios ocorrerá por ocasião do "XIII Seminário de Estabilidade Financeira e Economia Bancária do Banco Central do Brasil", em São Paulo, no dia 03 de Outubro de 2018. 

Certificados de conclusão de curso de nível superior, desde que emitidos por instituições de ensino superior reconhecidas pelo MEC, também podem ser apresentados para comprovação da escolaridade exigida. 

Mais informações: CLIQUE AQUI


Reprodução: Banco Central do Brasil

Belém-PA: Happy Hour empresarial ACP

O Conselho da Mulher Empresária - CME e o CONJOVE, da ACP, realizarão o Happy Hour Empresarial onde ocorrerá a PALESTRA SUCESSÃO FAMILIAR que será ministrada por Leonam Von-Grap e José Lucas Neto.

Dia 13/06/2018 (quarta-feira)
Horário: 17h30
Local: Barbearia 444, (Av Conselheiro Furtado, nº 444, Batista Campos)
Valor: R$ 20,00

Mais informações, favor entrar em contato com Andréa Letícia, no telefone: 98326-0050 ou Luana Araújo 98326-0052

Participem!

11/06/2018

Belém-PA: 1º Workshop “Pole Position: inteligência social & empregabilidade”

PALESTRA: Do curriculo virtual à entrevista comportamental: habilidades sociais no processo de Recrutamento e Seleção        

Profa. Msc Hélen Lopes Noronha

PALESTRA : Marketing de Relacionamento e Network                 
Prof. Convidado Msc. Márcio Fernandes

MESA REDONDA: Inteligência Social  e Empregabilidade

Coordenação: Bruna Barbosa

Debatedores:  

Nazaré Nogueira: Gerente de RH da Belém Bionergia S/A
Thiago Rodrigues: Analista de RH - CELPA
Nelson Vieira: Presidente da Cia Coach

Informações e Inscrições: CLIQUE AQUI

Belém-PA: Lançamento da feira Pará Negócios 2018!


Você é nosso convidado para o lançamento da Pará Negócios 2018!

Na oportunidade teremos a Palestra "Caminhos Para o Desenvolvimento", que será ministrada pelo economista Eduardo Costa.

Desfile, exposição de produtos, as novidades da 7° edição da maior feira de negócios da Região Norte , tudo isso e muito mais ...

Data: 14/06/2018
Hora: 18h30
Local: Salão Nobre da ACP

Participem!

05/06/2018

Correntistas devem se informar antes de optar por contas digitais

Confira a diferença da modalidade que atrai cada vez mais clientes.

As contas de pagamento, mais conhecidas como contas digitais, estão atraindo cada vez mais clientes que querem fugir do relacionamento tradicional com um banco e resolver tudo pela internet. Mas, para escolher corretamente entre a praticidade dessas contas e as tradicionais contas-correntes, é preciso conhecer a diferença entre elas. 

"A informação do que é conta bancária e do que é uma conta de pagamento tem que ficar mais clara para os usuários. Tem uma confusão nisso. Quando tem uma instituição de pagamento com o mesmo nome de um banco, fica difícil a escolha. O consumidor vai entender como uma coisa só", disse o especialista em regulação do sistema financeiro e conselheiro da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), José Luiz Rodrigues, referindo-se ao Banco Neon, liquidado extrajudicialmente, e a Neon Pagamentos, responsável por contas de pagamento.

Em maio, o BC decretou a liquidação do Banco Neon e esclareceu que as irregularidades encontradas na instituição financeira não estavam relacionadas com a abertura e movimentação de conta digital ou com a emissão de cartões pré-pagos, objeto de acordo operacional com a empresa Neon Pagamentos. Entretanto, como a fintech (empresa de inovação tecnológica no setor financeiro) precisa de uma parceria com um banco para operar, os serviços das contas de pagamento foram afetados. Depois de três dias, a Neon anunciou parceria com o banco Votorantim para conseguir voltar a oferecer os serviços.

Diferenças entre as contas

As contas digitais, que podem ser abertas pela internet, podem ser oferecidas tanto por bancos como por instituições de pagamento, empresas que têm a inovação tecnológica como diferencial e oferecem serviços de movimentação de recursos.

No caso das contas abertas pelos bancos, tanto por meio digital ou presencialmente, são oferecidos os serviços de pagamentos, limites de cheque especial e operações de crédito. Essas contas seguem a regulamentação do Banco Central e têm cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). O fundo permite a recuperação dos depósitos ou dos créditos de até R$ 250 mil por correntista em caso de falência, insolvência ou liquidação extrajudicial.

Já por meio das contas de pagamentos é possível movimentar dinheiro, pagar contas e comprar com o cartão, de forma prática, usando um aplicativo no celular. Nessas contas, o saldo não pode ultrapassar o limite de R$ 5 mil, de acordo com regras do Banco Central (BC). A movimentação é feita em uma única plataforma e não há taxas de manutenção.

Autorização do BC

Nem toda conta de pagamento é oferecida por instituições reguladas pelo Banco Central. Na verdade, a maioria não é regulada: 112 instituições de pagamentos. Atualmente, apenas sete instituições de pagamento são reguladas pelo BC: Brasil Pré-Pagos; Cielo, GetNet; Nubank; Redecard; Stone; e Super Pagamentos. Essas empresas podem oferecer cartões pré-pagos, cartões de crédito, cartões de vale-refeição e credenciar lojistas para aceitarem meios de pagamento eletrônico. Quando as empresas não são reguladas pelo BC, é preciso fazer parceria com um banco para oferecer os serviços.

Para serem reguladas, as empresas precisam movimentar a partir de R$ 500 milhões por ano e passar por um processo de autorização do BC. As regras impostas a essas instituições reguladas são mais rigorosas que as dos bancos. As instituições de pagamento têm que depositar o dinheiro dos clientes em uma conta do BC ou aplicar em títulos do Tesouro Nacional.

O prazo para cumprir 100% dessa alocação dos recursos é 1º de janeiro de 2019. Assim o dinheiro dos clientes fica separado dos recursos da empresa e não podem ser usados, por exemplo, para pagar dívidas da instituição de pagamento. Os bancos, por sua vez, são obrigados a fazer depósito compulsório, ou seja, 25% dos recursos à vista são depositados no BC

"O Banco Central criou esse piso de R$ 500 milhões de movimentação para fazer uma separação entre aquelas instituições que oferecem risco sistêmico e as que não oferecem", explicou Rodrigues.

O objetivo do BC é ter maior controle de instituições que oferecem risco para o sistema de pagamentos e financeiro e, ao mesmo tempo, incentivar o surgimento de novas empresas que podem crescer até ter condições de se sujeitarem à regulação. Para Rodrigues, o mercado está "bem organizado" atualmente com instituições reguladas e com aquelas que ainda precisam ou escolhem fazer parceria com os bancos. Mesmo assim, o especialista considera que esse valor de movimentação de R$ 500 milhões deveria ser menor, para ampliar o número de instituições de pagamentos reguladas pelo BC.

Processo de autorização

Segundo o BC, há atualmente 48 processos de autorização de instituição de pagamento. Desde fevereiro deste ano, o prazo para análise dos pedidos de autorização de funcionamento de instituições de pagamento é de 12 meses. Essa contagem é suspensa quando o BC precisa pblogedir mais informações à empresa.

No site do BC, é possível consultar uma série de perguntas e respostas sobre as contas de pagamento.

Reprodução: Agência Brasil