08/03/2012

Cesta básica do paraense está entre as mais caras.

A cesta básica dos paraenses continua entre as mais caras do Brasil. A pesquisa divulgada hoje (8) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) mostrou que apesar do valor da alimentação ter ficado estável nos meses de janeiro e fevereiro, com pequena elevação de 0,03%, a população ainda paga caro pelo básico. De acordo com o Dieese, o valor atual da cesta básica no Pará é de, em média, R$ 238,84.

Feijão, carne, farinha, café e pão foram alguns dos alimentos avaliados pelo Dieese para o balanço do preço da cesta básica em 17 capitais do Brasil. A variação positiva no valor de alguns produtos contribui para a alta no preço. O feijão sofreu reajuste de 13,54%, seguido do café com alta de 10,82% e da manteiga com alta de 2,69%. Outros itens tiveram recuo no valor, os mais expressivos foram a carne bovina (queda de 2,80%) e o tomate (queda de 2,71%).

No balanço efetuado sobre a trajetória de preços da alimentação nos últimos 12 meses (fevereiro de 2011 à fevereiro de 2012), o Dieese mostra reajuste acumulado no preço da cesta básica de 8,69%. Em fevereiro de 2011 pagava-se R$ 228,94 pela alimentação básica, no mesmo período em 2012 o valor elevou para 248,8.

O Dieese/PA avaliou o valor da cesta básica para uma família padrão paraense, composta de dois adultos e duas crianças. O custo ficou em R$ 746,52, o equivalente a cerca de 1,2 salários mínimos para serem garantidas as necessidades básicas de uma família, somente na alimentação.

Outro dado da pesquisa mostra, ainda, que para comprar os 12 itens básicos da cesta, o trabalhador paraense comprometeu cerca de 43,49% do novo salário mínimo (R$ 622) e teve que trabalhar cerca de 88 das 220 horas previstas em Lei para garantir apenas os gastos mensais com alimento.

Fonte: Shamara Fragoso/DOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.