08/03/2012

Pará tem a maior geração de emprego para mulheres do Norte.

Em todo o Pará, a mulher tem alcançado aumento nas vagas do mercado de trabalho. Em 2011, puxado pelos setores serviço, comércio e construção civil, foram gerados cerca de 16 mil postos de trabalho femininos no Estado - o maior número da Região Norte. O novo Balanço do Emprego Feminino no Pará foi divulgado, nesta terça-feira, 6, pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Renda (Seter) e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA), com base em informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

A pesquisa faz parte do Observatório do Trabalho do Pará, uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Seter, e o Dieese-PA. A produção desse material visa também subsidiar as discussões que envolvem a mulher paraense no mercado de trabalho em função do Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quinta-feira, 8. Os dados analisados pelo Dieese mostram que, de janeiro a dezembro de 2011, foram feitas 368.777 admissões contra 317.272 desligamentos em todo o Pará - saldo positivo de 52.505 postos de trabalho e crescimento de 8,20%. Desse total, 36.100 postos (69%) foram ocupados por mão de obra masculina e o restante, 16.405 postos  ou 31%, por mão de obra feminina. O estudo mostra que o emprego continua em crescimento para a mulher no Pará.

O novo mapa revela também que, em 2011, o emprego feminino respondeu positivamente em todos os setores econômicos do Pará. O setor serviço foi o destaque na geração de empregos femininos: 38.478 admissões contra 30.665 desligamentos - saldo positivo de 7.813 postos de trabalho. Em seguida vieram o comércio: 37.935 admissões contra 32.395 desligamentos - saldo positivo de 5.514 postos; construção civil: 4.398 admissões contra 3.044 desligamentos - 1.354 postos; agropecuária: 3.822 admissões contra 3.156 desligamentos - 666 postos.

O estudo do Dieese revela que, no ano passado, todos os Estados da Região Norte apresentaram crescimento do emprego formal feminino. E o maior destaque foi o Pará: 16.405 postos de trabalho. Em seguida vieram: Amazonas (16.246 postos), Rondônia (5.079 postos), Tocantins (4.624 postos), Acre (3.115 postos), Amapá (1.734 postos) e Roraima (1.215 postos de trabalho). Segundo o estudo, em todo o Norte, em 2011, no mercado de trabalho formal foram gerados 125.704 postos de trabalho. Destes, 81.910 postos ou 65%, foram ocupados por de mão de obra masculina, e, o restante, 43.794 postos ou 35%, foram ocupados por mão de obra feminina. E ainda desse total de postos de trabalhos femininos gerados em todo o Norte, 37% ou 16.405 postos foram gerados no Pará.

Segundo o Censo 2010 do IBGE, das quase 16 milhões de pessoas na Região Norte: 8.004.915 eram homens (50,46%) e 7.859.539, mulheres (49,54%). O Pará era o primeiro Estado da região em número de população: quase 8 milhões: 3.821.837 homens (50,41%) e 3.759.214 mulheres (49,59%). Por distribuição de domicílio, a população feminina do Pará, de acordo com o Censo 2010, era de 2.653.769 nas cidades, o que equivale a 70,59% da população da região Norte; e 336.878 ou 19,46% na zona rural. Por cor ou raça, a população feminina do Pará, segundo o Censo 2010, era formada predominantemente por mulheres da cor parda (69,4%). Em segundo lugar vinham as mulheres que declararam ter a cor branca (22,7%). Depois vinham as que se declararam com as cores preta (6,4%), amarela (1,0%) e indígena (0,5%).

Fonte: SETER - PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.