10/04/2012

Consumidores do Amazonas gastam mais e dívidas somam R$ 17 bilhões.

Pessoas físicas e empresas iniciaram 2012 devendo 16% mais nas compras com cheques, cartões e com os financiamentos bancários. O total é o 5º maior, desde 2004

Manaus - O consumidor do Amazonas começou o ano devendo mais. No primeiro mês de 2012, a soma dos gastos com cheques, cartões e financiamentos chegou a R$ 17,275 bilhões, o 5º maior volume de concessão de crédito da série histórica do Banco Central do Brasil (BCB), compilada desde janeiro de 2004.

Com este valor, o endividamento teve um aumento de 16,15%, uma vez que, em janeiro do ano passado, o consumidor do Estado devia R$ 14,872 bilhões. Isto significa um desembolso de R$ 2,403 bilhões em 12 meses, conforme os dados do BC.

Para o vice-presidente do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), Assis Mourão Júnior, o aumento é preocupante, pois mostra que os consumidores estão recorrendo mais ao crédito como alternativa à diminuição da renda. "No início deste ano, houve uma desaceleração da economia. Isso influenciou na renda do trabalhador, que vinha à todo vapor. Agora, com essa freada, ele esta buscando crédito, seja para continuar comprando ou para quitar dívidas", observa.

O crédito para pessoa física foi o que mais cresceu, com um aumento de 19,18%, chegando ao valor de R$ 7,088 bilhões. O volume concedido a clientes empresariais, no entanto, representa a maior parcela, com R$ 10,188 bilhões em janeiro, número 14,15% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

Com o aumento da oferta de crédito, que começou a ser novamente flexibilizada no final do ano passado, com medidas como a redução gradativa das taxas de juros, o acesso a financiamentos e outras linhas ficou mais prático ao consumidor, o que resultou também em um crescimento na taxa de inadimplência deste cliente em janeiro deste ano.

De acordo com os dados do Banco Central, a taxa de inadimplência do tomador de crédito pessoa física chegou a 5,9% em janeiro, 0,4 pontos percentuais acima da taxa registrada no mesmo mês de 2011.

O tomador de crédito pessoa jurídica apresentou taxa reduzida de inadimplência em janeiro deste ano, com 2,09%, frente ao índice de 2,26% registrado no ano passado.

No apurado total de operações, a inadimplência de janeiro chegou a 3,66%, índice pouco acima dos 3,46% registrados no primeiro mês de 2011. Atualmente, a taxa básica de juros, regulada pelo BC, encontra-se em 9,75%. Em agosto do ano passado, a taxa básica chegou a 12,5%.

Fonte: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.