01/10/2012

ARTIGO DA SEMANA: GERAÇÕES X & Y.

            O estudo das gerações nas organizações iniciou-se na década de 20, quando principiou a Revolução Industrial. Até o século 21, foram nove décadas de mudanças tecnológicas e organizacionais, e não podemos deixar de citar a evolução dos profissionais que fazem parte deste processo.

            Embora as definições dos intervalos das gerações possam variar de um país para o outro, podemos afirmar, de modo geral, que há quatro grandes grupos geracionais em atividade profissional segundo Loiola (2009): Tradicionalistas, Baby Boomers, "Geração X" e a "Geração Y", tendo que observar que as atuais no mercado são as três últimas citadas.

Para Viana (2010) cada geração, o que as torna única e diferentes são precisamente as experiências de vida de caráter social comum que definem com maior clareza cada grupo, em um exemplo rápido, poderíamos dizer que os tradicionais são práticos, disciplinados e tangidos pela lealdade, os Baby Boomers são mais otimistas e motivados profissionalmente, a "Geração X" é mais cética em relação às empresas, e busca principalmente o máximo equilíbrio e flexibilidade e a "Geração Y" que carece de lealdade para com a empresa, mas dão muita importância ao relacionamento com os companheiros e supervisores.

Para as organizações atuais, lidar com as gerações em um mesmo ambiente tem sido um trabalho árduo, pois cada grupo é definido com valores e interesses diferenciados e exigem proventos para tal.

 

Tabela 1 – "Gerações X" vs. "Geração Y"


"GERAÇÃO X"


"GERAÇÃO Y"



VARIÁVEIS


MOTIVAÇÕES


VARIÁVEIS


MOTIVAÇÕES



Reengenharia e Downsizing


Oportunidade de Desenvolvimento e Empregabilidade


Advento da Internet


Responsabilidades e desafios crescentes



Desenvolvimento da Tecnologia


Trabalho mais independente, flexível e criativo.


Tecnologia x Burocracia


Liberdade/ Flexibilidade para atingir resultados



Mudanças em relação à estabilidade e benefícios.


Liderança capaz de fazer Coaching e Mentoring


Liderança autêntica x Liderança hierárquica


Oportunidade para crescimento contínuo.



Foco no curto prazo e resultados


 


 


Acesso direto às lideranças e feedback intensivo e sistemático.



Fonte: Oliveira (2008), adaptado.

 

Na Tabela 1, supracitada, estão apresentadas algumas variáveis e motivações da "Geração Y" e "Geração X".

Um fato a se considerar é a existência de egoísmo em muitos jovens desta geração. Portanto, a "Geração Y" tem como ponto forte a priorização dos seus interesses e dificilmente abre mão de satisfazer um desejo pessoal em relação a um emprego. Logo, trabalhar no que gosta e fazer diferente são elementos fundamentais para eles, além disto, fazer uma boa gestão do seu tempo, priorizar a excelência e a consciência ambiental são também aspectos muito importantes para os indivíduos dessa geração.

Os indivíduos desse grupo também se caracterizam pela volatilidade na profissão, a comunicação sem barreiras e pelo imediatismo, contudo, eles  têm uma necessidade muito grande de receberem feedbacks por parte da empresa.

A globalização está criando um coletivo social transversal, situado em todo o mundo (ou quase todo), com traços homogêneos, independentemente da origem cultural, racial ou geográfica.

 

 

COLUNISTA: Robson Paniago é Doutor em Ciências Empresariais pela UMSA-Ar e Doutorando em Administração pela UNIMEP-SP, Coordenador do Curso de Administração e do Curso Superior  de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos do UNISAL – Campinas e Professor de graduação e MBA da FGV Online. Sócio - diretor da CONSULTEE – www.portalconsultee.com e da CEC – www.cecapivari.com.br. Palestrante, Articulista do Jornal de Jundiaí e Consultor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.