07/05/2013

Alimentação no Pará continua entre as mais caras.

A alimentação básica dos paraenses continua entre as mais caras do país. Em abril deste ano, pelo quarto mês consecutivo, o custo da cesta básica para um trabalhador foi de R$307,18 com um aumento em relação ao mês de março, de 5,25%.

De acordo com o balanço nacional da cesta básica, realizado Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA), no mês de abril, das 18 capitais pesquisadas, apenas seis apresentaram recuo no custo da alimentação básica.

O estudo mostra que os maiores aumentos foram verificados nos seguintes produtos: tomate com alta de 18,55%; banana com 12,42%; feijão com 8,02%; leite com 2,55% e da farinha de mandioca com alta de 1,89%. Ainda de acordo com a pesquisa, também m abril deste ano, alguns produtos básicos da alimentação dos paraenses apresentaram recuo de preços, os mais significativos foram: o óleo de cozinha com queda de 1,35%, carne bovina com queda de 1,30% e do arroz, com 1,26%.

Segundo o Dieese, o custo da cesta básica para uma família padrão paraense, formada por dois adultos e duas crianças, ficou em R$ 921,54. Sendo necessário, quase 1,4 salários mínimos para garantir as necessidades do trabalhador e sua família, somente com a alimentação. A pesquisa mostra ainda, que para comprar os 12 itens básicos da cesta, o trabalhador comprometeu cerca de 49,25% do novo salário mínimo (R$ 678,00).

Nos quatro primeiros meses de 2013, quase todos os produtos que compõem a alimentação básica dos paraenses apresentaram altas de preços, com destaque para o tomate com reajuste acumulado de 52,32%, farinha de mandioca com alta de 35,79%; da banana com 28,37%; do leite com 7,25% e do feijão com alta de 6,36%. De janeiro a abril deste ano, alguns produtos apresentaram recuos de preços, tais como: o arroz com queda de 4,86%; óleo de cozinha com 4,44%; açúcar com 3,26% e da carne bovina com queda de 1,94%.

O balanço efetuado sobre a trajetória de preços da alimentação básica nos últimos 12 meses, mostra reajuste acumulado no preço da cesta básica de 23,66%. Segundo o Dieese, nos últimos 12 meses, grande parte dos produtos que compõem a cesta básica apresentaram altas de preços acima da inflação. No período analisado, os aumentos mais expressivos foram observados nos seguintes produtos: farinha de mandioca com alta de 139,68%; seguida do tomate com 86,36%; arroz com 50,64%; banana com 45,11%; leite com 14,23%; pão com alta 13,24% e do óleo de cozinha com 11,59%. A inflação estimada para o mesmo período gira em torno de 7%. Em abril deste ano, das 18 capitais pesquisadas pelo Dieese, São Paulo foi quem apresentou o maior valor da alimentação básica com R$ 344,30; seguida de Manaus com o valor de R$ 339,64 e de Vitória com R$ 328,94.  Em termos de variação, no mesmo mês, entre as capitais pesquisas, Recife com crescimento 6,55% foi quem apresentou a maior variação positiva em relação ao mês de março, seguida de João Pessoa com alta de 5,94% e de Belém com alta de 5,25%.

Fonte: DOL, com informações do Dieese

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.