26/03/2015

Taxa de juros bate recorde e cartão vai a 342% ao ano

No cartão de crédito, a taxa anual subiu para  342,2% ao ano; valor superou a de janeiro, que até então era recorde.

Manaus - Os juros para pessoas físicas pesaram no bolso dos consumidores em fevereiro. De acordo com dados do  Banco Central (BC), a taxa média de  juros ficou em 54,3% ao ano, no último mês. O valor é o maior desde março de 2011, início da série histórica do BC. No cartão de crédito, a taxa anual subiu para  342,2% ao ano.
A taxa superou a de janeiro, que até então era recorde. Ela aumentou 2,3 pontos percentuais na comparação com o primeiro mês do ano e 6,4 pontos percentuais em 12 meses. Boa parte do aumento dos juros ocorreu devido ao cheque especial, cuja taxa média anual chegou a 214,2% ao ano, em fevereiro. O valor é o maior desde março de 1996, quando a taxa havia ficado em 217,71% ao ano.

O juro cobrado por instituições financeiras no rotativo no cartão de crédito subiu para 342,2% ao ano, em fevereiro, ante 334,6% ao ano em janeiro, segundo dados do Banco Central. Na prática, isso significa cobrar juro de 0,4138% ao dia. Se um consumidor estivesse devendo R$ 1 mil no começo do mês, ao final já deveria R$ 1.127.

O juro médio total cobrado no cartão de crédito subiu 7,8 pontos porcentuais de janeiro para fevereiro. Em janeiro, a instituição passou a incorporar dados sobre esse segmento, que regula desde maio de 2013. Com a alta na margem, a taxa passou de 70,9% ao ano em janeiro para 78,7% ao ano no mês passado. No caso do parcelado, ainda dentro de cartão de crédito, o juro aumentou 6,3 pontos de janeiro para fevereiro, passando de 106,3% ao ano para 112,6% ao ano.

Entre as principais linhas de crédito livre para pessoa física, o destaque vai para o cheque especial, cuja taxa subiu de 209,0%, em janeiro, para 214,2%, no mês passado. Para o crédito pessoal, a taxa total subiu de 46,6%, em janeiro, para 47% em fevereiro. No caso de consignado, a taxa passou de 26,4% para 26,8% de janeiro para fevereiro e, nas demais linhas, de 107,5% para 108,1%.

Para a aquisição de veículos para pessoas físicas, os juros passaram para 24,8% de um mês para outro. A taxa média de juros no crédito total, que também inclui as operações direcionadas, subiu para 25,6% em fevereiro.

A taxa de inadimplência no crédito livre permaneceu em 4,4% em fevereiro ante janeiro. Para pessoa física, passou para 5,4% na comparação mensal. Para as empresas, seguiu em 3,5% de um mês para o outro. Em janeiro, a inadimplência no crédito livre para pessoa física, que havia ficado em 5,4% e foi revisto hoje pelo BC, também bateu recorde: é a mais baixa da série histórica.

Crédito

Em fevereiro, foi observada a primeira queda na margem do estoque de crédito com recursos livres para as famílias em um ano. De acordo com dados do BC, houve recuo do saldo de 0,3% em fevereiro ante janeiro, para R$ 784,1 bilhões. Em fevereiro do ano passado, o estoque passou de R$ 747,2 bilhões para R$ 745 bilhões. "Há dinâmica de arrefecimento no crédito ao consumo. Isso não é tendência na margem, pois já ocorre desde 2013", considerou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel.
De acordo com ele, uma explicação para esse desempenho é o mercado imobiliário. "Houve desaceleração e a tendência é de continuidade de desaceleração do crédito imobiliário", considerou. Apesar disso, Maciel lembrou que, no geral, houve expansão do estoque no mês e que isso ocorre em ambiente de "plena estabilidade da inadimplência".

 
Fonte: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.