10/04/2015

Abraciclo prevê corte de empregos no PIM com a queda nas vendas de motos

Entidade considera 'óbvio' redução de pessoal após revisar para baixo a estimativa para este ano.

Manaus - O Polo de Duas Rodas de Manaus, que já empregou 20,5 mil trabalhadores, deverá reduzir ainda mais a mão de obra,  composta hoje por 17,8 mil trabalhadores, após quedas consecutivas nas vendas e na produção. Ao divulgar ontem o balanço da redução de 12,6% na produção e de 10,6% nas vendas no primeiro trimestre do ano, o  presidente da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo), Marcos Fermanian, considerou "óbvia" a redução dos empregados.

"Até agora não há movimento em massa de demissões. Ao longo do ano, é óbvio que vamos acabar diminuindo, mas sem cortes sistemáticos", disse Fermanian, ao levar em consideração a perspectiva de 6,8% de recuo na fabricação e de 4,5% nas vendas de motos entre 2014 e 2015.

Fermanian minimizou o desempenho do setor no mês de março, com altas de 32,7% nas vendas ante fevereiro e de 11% sobre março de 2014, para 130.962 unidades comercializadas no varejo. Ele avaliou que o fato de o período de carnaval ter caído em fevereiro deste ano e em março do ano passado distorce a comparação feita com as vendas no mês passado, sem feriados e com 22 dias úteis.

O presidente da Abraciclo considerou ainda que as revisões para baixo nas estimativas de produção e de vendas para 2015 ocorreram em um momento de incertezas econômicas, com restrição de crédito e da própria demanda. "A expectativa ainda é de crédito estável, embora os juros tenham subido, assim como o nível de renda exigido pelos bancos", afirmou. "Do outro lado, o próprio consumidor, diante da incerteza, diminui o fluxo nas redes de concessionárias", disse.

As vendas no atacado (das montadoras às concessionárias) devem recuar 4,9% este ano, para 1,36 milhão de veículos. A projeção anterior, de 1,46 milhão de unidades vendidas, apontava uma leve alta de 2% em 2015 sobre o 1,431 milhão de motos comercializadas das fábricas às concessionárias no ano passado.

A projeção de vendas de motos no varejo também foi revista e passou de uma alta de 2,8% sobre o total de 1,43 milhão de unidades de 2014, para uma queda de 4,5% em 2015, a 1,365 milhão de veículos. Apesar do recuo de 76,1% no primeiro trimestre de 2015 ante igual período de 2014, a estimativa de exportação feita pela Abraciclo foi revista para cima e deve chegar a 70 mil unidades este ano, ante 55 mil veículos previstos em janeiro. Mesmo assim, se a estimativa for concretizada, as exportações ainda devem recuar 20,5% em 2015 ante as 88.056 motos comercializadas no exterior no ano passado.

Exportações

Segundo a Abraciclo, as dificuldades no mercado argentino e incertezas de novos acordos internacionais também levaram as exportações de motos a despencarem 76,1% no primeiro trimestre deste ano sobre igual período de 2014, de 26.619 para apenas 6 351 unidades. Com 1.686 unidades comercializadas no mercado externo, em março as exportações de motos recuaram 80,6% sobre março de 2014 e 32,3% sobre fevereiro, quando foram vendidas 2.491 motos.

Fonte: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.