10/05/2016

Produção industrial no AM tem queda de 18% em um ano, a pior de todo o País

Segundo pesquisa do IBGE, o recuo no Polo Industrial está relacionado à baixa produção de ar-condicionados, motocicletas e televisores.

Manaus – A produção industrial do Amazonas acumula queda de 18% nos últimos 12 meses, a pior de todo o País, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O recuo no Polo Industrial de Manaus (PIM), que, em março perdeu 1,8 mil postos de trabalho, está relacionado à baixa produção de aparelho de ar-condicionado, motocicletas e televisores.

A indústria amazonense caiu 10,2% entre março de 2016 e do ano passado. Segundo o IBGE, o Amazonas acumula retração de 22,1% no primeiro trimestre de 2016.

Os nove subsetores da indústria da transformação, que caiu 19% nos últimos 12 meses, considerando o mês de março de 2016, tiveram recuo.

O subsetor de fabricação de máquinas e equipamentos, onde inclui-se a produção de aparelhos de ar-condicionado e terminais comerciais de autoatendimento, acumula retração de 41,4% em 12 meses, o pior desempenho do Amazonas.

A fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos teve queda de 32,4 em 12 meses. O subsetor continua em queda devido à baixa produção televisores e aparelhos de DVD e home theater.

Já o Polo de Duas Rodas continua em ritmo de 'queda sobre queda'. Desta vez, a retração na produção de motocicletas fez o subsetor de fabricação de outros equipamentos de transporte cair 23,5% em 12 meses e 34,4% na comparação entre março de 2016 e de 2015.


A produção de motocicletas no PIM vem em queda há anos. No primeiro quadrimestre de 2016, a produção caiu 36,4%, segundo pesquisa divulgada pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) na última terça-feira. O setor já havia retraído 17,4% em 2015, em relação a 2014. 

Empregos
A redução na produção da indústria amazonense tem aumentado o desemprego no Estado. A indústria perdeu 1,8 mil postos em março, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS). A indústria foi o setor que mais demitiu.

De acordo com o Caged, o recuo do emprego na indústria em março foi influenciado, principalmente, pelo ramo material elétrico e de comunicação, com a retração de 714 postos.
Reprodução: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.