17/02/2017

ARTIGO: Decisões financeiras

Muitas pessoas têm medo de tomar decisões e ficam sempre em cima do muro, esperando que os outros a tomem por ele.

Essa insegurança acaba sendo transmitida a todos da equipe, que sabem que seu líder posterga e dificilmente toma uma decisão.

Outras tomam decisões e verificam que a mesma não foi a mais correta, pois ele não conseguiu prever todas as consequências do seu ato e das medidas tomadas.

Se você tivesse que optar por ser um dos dois acima, qual deles escolheria? Devo dizer que somos todos seres humanos.

Prefiro conviver com pessoas que tomam decisões erradas, mas as tomam, do que com pessoas que evitam de todas as maneiras tomar as mesmas.

Se errar é humano, aquele que errou deve aprender com seus erros para não repetir os mesmos.Isso é sinal de aprendizagem e de sabedoria.

Pessoas que nunca tomam decisões são levadas pelos acontecimentos e deixam a vida lhes levar.

Muitas pessoas não gostam de aparecer como tendo tomado decisões erradas e, portanto, não tomam decisão nenhuma.


Esse tipo de pessoa não saberá como aprender com os erros, nem colocará suas decisões em risco e seu aprendizado será um caminho  difícil e tortuoso.

Administradores financeiros devem ser pragmáticos, pois sua profissão cobra tomada de decisão contínua e a mesma faz parte do dia a dia do mesmo.

Mas também o Administrador deve saber e aprender que para tomar uma decisão dificilmente terá todos os dados para que a mesma aconteça, e por isso deve usar da intuição e dos sentimentos.

Para que sua assertividade seja comprovada ele deve aliar conhecimentos técnicos com aspectos subjetivos e comportamentais, que não são mensuráveis e que fazem parte do aprendizado do mesmo ao longo da sua vida profissional.

Cada empresa é uma empresa e decisão tomada numa pode, numa outra organização, ser totalmente diferente, pois a cultura de uma organização é muito diferente da cultura de outra.

O clima organizacional também nunca é idêntico de uma empresa para outra, por isso numa organização podemos dizer que cada caso é um caso e cada decisão é uma decisão.

Por isso o administrador deve tomar decisões com assertividade pragmática, isto é, baseada em dados científicos, dados técnicos, pesquisa etc, mas também em intuição, feeling, emoção e aspectos comportamentais e políticos.

Apesar de não parecer, ser Administrador é algo simples e ao mesmo tempo complexo, pois se lida com dados e informações que mudam todo dia e para dar certo temos que ser assertivos, pragmáticos, mas com feeling...


ARTICULISTA: Palestrante Robson Paniago é Administrador Tecnológico & Social
Contato:
www.clubedosadministradores.adm.br
robsonpaniago@hotmail.com; robson.paniago@fgv.br
Fones: (64) 99233-7805 / 3615-2342

____________________________________
Nota editorial: Os pensamentos e ideias acima expostos não necessariamente refletem nossa opinião e são de responsabilidade exclusiva do (s) Autor (es) do Artigo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.