03/02/2017

Emprego na indústria apresentou queda em 2016

Segundo a pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/PA), a indústria de transformação foi o terceiro setor econômico em 2016 com o maior volume de desemprego formal, com queda de 5,37%.

Segundo o Dieese/PA, o estudo  sobre a flutuação de postos de trabalho formal no setor da insústria de transformação no Pará e nos demais estados da região Norte, foi elaborado e analisado com base em informações oficiais do Ministério do Trabalho,e segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). 

Dezembro

A pesquisa realizada pelo Dieese/PA sobre a flutuação dos postos de trabalho no setor da indústria de transformação no Pará, durante o mês de dezembro de 2016 apontou um saldonegativo de empregos formais se comparado entre admitidos e desligados com decréscimo de 1,51%. No período, foram feitas no setor da indústria de transformação em todo o Pará, 1.417 admissões e 2.701 desligamentos , o que gerou um saldo negativo de 1.284 postos de trabalhos.

No mesmo período em 2015, a indústria paraense também apresentou queda na geração de empregos formais, porém, a perda de postos de trabalhos foi um pouco maior que a verificada em 2016. Foram feitas naquela oportunidade 1.677 admissões e 3.237 desligamentos gerando um saldo negativo de 1.560 postos de trabalhos.

Região Norte

As análises do Dieese/PA mostraram ainda que no mês de dezembro, no setor da indústria de transformação, todos os estados da região Norte apresentaram saldos negativos de empregos formais no comparativo entre admitidos e desligados, com destaque para o Amazonas com a perda de 1.539 postos de trabalhos, seguido do Pará com saldo negativo de 1.284 postos de trabalho, o Estado de Rondônia com saldo negativo de 275 postos de trabalho, o Tocantins com saldo negativo de 102 postos de trabalho, o Acre com saldo negativo de 122 postos de trabalho, o Amapá com saldo negativo de 73 postos de trabalhos e Roraima com saldo negativo de 48 postos de trabalho.

Ainda de acordo com as analises do Dieese, no mês de dezembro foram feitas no setor da indústria de transformação na região Norte, 3.950 admissões e 7.393 desligamentos, gerando um saldo negativo de 3.443 postos de trabalhos com um decréscimo de 1,36% na geração de empregos formais.

No ano de 2015, o setor também apresentou queda na geração de empregos formais, menor que o verificado no mesmo período de 2016. Foram feitas em 2015 39.676 admissões e 42.623 desligamentos gerando um saldo negativo de 2.947 postos de trabalho.

As análises mostraram ainda, que no ano de 2016, no Setor da indústria de transformação, todos os estados da região Norte apresentaram saldos negativos de empregos formais no comparativo entre admitidos e desligados, com destaque para o Amazonas com a perda de 6.245 postos de trabalhos, seguido do Pará com a perda de 4.776 postos de trabalhos, Rondônia com a perda de 1.749 postos de trabalhos, Tocantins com a perda de 1.104 postos de trabalhos, Acre com a perda de 510 postos de trabalhos, Amapá com a perda de 69 postos de trabalhos e Roraima com a perda de 8 postos de trabalho.

Em 2016 foram feitas no setor da indústria de transformação, em toda a região Norte, 87.048 admissões e 101.509 desligamentos, o que gerou um saldo negativo de 14.461 postos de trabalho, com um decréscimo de 5,47% na geração de empregos formais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.