08/02/2017

Produção industrial do AM cai 10,8% em 2016, quase o dobro da média nacional

As maiores quedas foram nas linhas de motocicletas e de fornecedores, e de equipamentos de informática e eletroeletrônicos, segundo o IBGE.

A produção industrial do Amazonas caiu 10,8% em 2016, quase o dobro da média nacional, de 6,6%, com a desaceleração de nove das dez atividades pesquisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A retração foi puxada pelos segmentos de maior peso do Polo Industrial de Manaus (PIM). As maiores quedas foram nas linhas de motocicletas e de fornecedores, cujas atividades recuaram 28,4%, e de equipamentos de informática e eletroeletrônicos, incluindo televisores, desaceleração de 16,9%.

De acordo com o IBGE, este foi o terceiro ano seguido de queda da atividade industrial. Apesar da produção ter recuado dois dígitos, no ano passado, o resultado foi melhor do que em 2015, quando retraiu 17,2%. 

Os dados mostram uma tendência de desaceleração da queda no comparativo acumulado de 12 meses, trajetória que começou em junho de 2016, quando atingiu o pico de retração de 18,1%. Em dezembro do ano passado, essa taxa de queda referente ao período de um ano foi a menor desde março de 2015, quanto atingiu 10,7%, nesse comparativo, detalha o instituto.  

Em todo o ano passado, o único setor com aumento da produção foi o de  bebidas, que cresceu 1,4%, influenciado pelo segmento de  preparações em xarope para elaboração de bebidas para fins industriais.

Já os demais setores registram desaceleração, além de eletroeletrônicos e motocicletas. De acordo com o IBGE, a queda foi acentuada em máquinas e equipamentos (-53,2%), referente a aparelhos de ar-condicionado, de produtos de borracha e de material plástico (-10,2%), de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-11,8%), de indústrias extrativas (-5,0%) e de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-1,5%) 

Já no comparativo entre dezembro de 2016, o último mês pesquisado, em relação a dezembro de 2015, o desempenho foi positivo e avançou 3%. O resultado foi influenciado pelo bom desempenho do setor de equipamentos de informática, produtos eletrônicos, como televisores, entre outros, que cresceu  29,9%. Em sentido inverso, o Polo de Duas Rodas liderou a queda, com retração de 35,4%.

 

Nacional

No País, a queda da produção no ano passado foi de 6,6% e ocorreu em  14 dos 15 locais pesquisados, com a retração mais intensa no Espírito Santo, cuja produção industrial caiu 18,8%, seguido pelo Amazonas (-10,8%), Pernambuco (-9,5%) e Goiás (-6,7%).

A única exceção foi o Pará, cuja produção industrial aumentou 9,5% frente aos 12 meses de 2015.


Reprodução: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.