31/05/2017

Amazonas: Manaus e região terão indicador de inflação


Índice de Inflação Regional Sindicato dos Economistas do Estado do Amazonas (Sindecon-AM) vai elaborar indicador sobre o comportamento de preços e dará detalhes sobre os demais componentes.

Manaus terá o Índice de Inflação Regional (IIR), que vai incluir pesquisa da cesta básica  composta por 12 produtos na área da capital e dos municípios da Região Metropolitana. O novo levantamento será realizado pelo Sindicato dos Economistas do Estado do Amazonas (Sindecon-AM).
O estudo da cesta básica é feito mensalmente  em Manaus e outras 20 capitais, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O estudo espelha apenas o comportamento de uma parte da inflação, a do  consumo, sem incluir os preços administrados, ou as tarifas de serviços públicos, como energia, saneamento e transporte público.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo levantamento do indicador oficial de Inflação, o Índice de Preços Amplo ao Consumidor (IPCA), ainda não inclui Manaus no estudo, que tem dados até de Belém (PA) e todas as principais capitais do Nordeste e suas regiões metropolitanas. Além dos preços ao consumidor e os serviços públicos, o  IPCA afere, ainda, os domicílios, com a variação  de aluguel e condomínio e atinge as famílias com rendimentos mensais entre um e 40 salários-mínimos nas regiões urbanas, universo que representa 90% da população.
O IBGE também calcula outro índice que espelha a inflação da população com menor poder aquisitivo e,  igualmente, exclui Manaus, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), direcionado para famílias com rendimento mensal entre um  e cinco salários-mínimos das áreas urbanas, que corresponde a, aproximadamente, 50% das famílias brasileiras. O INPC também é utilizado como indicador para as reposições salariais, das categorias de trabalhadores.
Para o presidente do Sindicato dos Economistas, Marcus Evangelista, o novo indicador a ser elaborado pela entidade vai mostrar com maior precisão o comportamento dos preços no bolso do consumidor local.  "O Índice de Inflação Regional é resultado de uma avaliação periódica dos preços da capital e da Região Metropolitana de Manaus (RMM), tendo como base nossas peculiaridades. Sabemos que o valor de um quilo de feijão na nossa cidade não tem o mesmo preço em São Paulo. Contudo, estamos sempre nos baseando pelos índices de inflação das regiões Sul e Sudeste do País. Isso não está correto", disse o economista.
De acordo com Evangelista, o Sindecon-AM terá um diferencial em relação a outros sindicatos, porque será uma entidade independente  e aberta à sociedade, mantendo, contudo, seu fortalecimento administrativo. "Estamos buscando mecanismos de sustento para garantir essa imparcialidade diante das questões econômicas da região", disse.
Reprodução: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.