14/06/2017

Amazonas: Comércio tem alta de 9,9% nas vendas

O avanço foi registrado no volume de vendas do comércio varejista do Estado do Amazonas, em abril, em comparação com o mesmo mês no ano passado, aponta o IBGE.

Com um avanço de 9,9% no volume de vendas do comércio varejista do Amazonas, em abril, comparado a abril do ano passado, a Pesquisa Mensal do Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou a quarta taxa positiva esse ano que demonstra o retorno dos consumidores às compras. O resultado ficou bem acima da média nacional, que registrou alta de 1,9% em abril, na mesma comparação.

Na passagem de março para abril, as vendas do comércio amazonense registraram 2,6% de crescimento. Essa foi a segunda maior taxa no ano, atrás apenas de janeiro (5,1%) e a quarta maior taxa do País, nessa comparação.

A receita nominal também aponta para uma reação, com crescimento de 11,9%, em relação a abril do ano passado e de 3% frente a março.

Segundo a pesquisa, nos quatro primeiros meses do ano, em termos de volume de vendas, houve aumento de 3,7%. Enquanto o indicador acumulado nos últimos 12 meses, vem diminuindo o recuo, e, em abril, registrou a menor taxa dos últimos 12 meses (-5,9%).

A receita nominal de vendas também apresenta indicadores com variações positivas de 11,9% frente a abril de 2016, 7,2% no acumulado no ano e de 2,2% nos últimos 12 meses.

Para o supervisor de informações do IBGE no Amazonas, Adjlama Nogueira, a Páscoa impulsionou as vendas no varejo em abril que já apresentava resultados melhores que no ano passado, tanto no volume de vendas quanto na receita nominal. "Um outro fator importante dentro do mês de abril foi a disposição do consumidor amazonense de ir às compras, o que não ocorreu em abril de 2016 quando foi registrada queda de 3,4% na comparação com o mês anterior e de 14,8% na comparação com abril de 2015", destaca.

Em relação ao comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e material de construção, o avanço em relação a abril de 2016 foi de 7,5% para o volume de vendas e de 9,8% para a receita nominal. No que tange às taxas acumuladas, as variações foram de 3,5% no ano e de -6,3% nos últimos 12 meses para o volume de vendas, já para receita nominal as taxas foram de 6,9% e -0,5%, respectivamente.

Nacional

As vendas do comércio varejista do País cresceram 1%, em abril, na comparação com março, na série livre de influencias sazonais, enquanto a receita nominal do setor fechou também com crescimento de 1,3%. Este é o melhor resultado para os meses de abril desde 2006, quando as vendas do comércio cresceram 1,1%. Em abril de 2008, a alta também foi 1%. No confronto com abril de 2016, o volume de vendas do comércio cresceu 1,9%. Já o indicador acumulado nos últimos 12 meses recuou 4,6%, registrando, porém, a menor queda desde os 5,3% de janeiro do ano passado.

O aumento do volume de vendas no varejo alcançou 13 das 27 Unidades da Federação, na comparação com abril do ano passado. As maiores taxas ocorreram em Santa Catarina (24,5%) e Amazonas (9,9%). Na participação na composição da taxa do comércio varejista o destaque foi de Santa Catarina (24,5%) e São Paulo (1,7%). No comércio varejista ampliado, 17 Estados apresentaram variações negativas para o volume de vendas, na comparação com o mesmo mês do ano passado. As maiores quedas ocorreram em Rondônia (-11%), Goiás (-10,5%) e Piauí (-9,8%). Quanto à participação na composição da taxa do comércio varejista ampliado, o destaque foi São Paulo (-3,1%).

Reprodução: Diário do Amazonas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.