02/06/2017

Amazonas: Venda ajuda a manter nível de vagas no PIM

A alta no emprego no primeiro trimestre é resultado do aumento nas vendas e na produção de televisores e celulares que puxaram a elevação do faturamento do Polo Industrial.

A alta nas vendas e na produção de televisores e celulares puxaram o aumento do faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM) no primeiro trimestre do ano, que atingiu 10,44% sobre igual período do ano passado. O resultado contribuiu para a estabilidade no emprego, que em março somou 84,5 mil trabalhadores, pequena alta de 1,07% sobre igual mês de 2016, mas o menor resultado em 12 anos, segundo os Indicadores Industriais divulgados nesta tarde pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).

A média mensal da mão de obra acumulada no trimestre é de 85,3 mil empregos. O número é 0,36% inferior à média acumulada em 2016 (85,6 mil). Nos primeiros três meses do ano, ocorreram 8,3 mil admissões e 7,5 mil demissões, com saldo de 882 vagas ocupadas. O volume de 84,5 mil empregos em março deste ano foi o menor para o mês desde 20105, quando as empresas registraram 82,7 mil vagas ocupadas, segundo os dados da Suframa.

O PIM faturou R$ 18,62 bilhões entre janeiro e março. Em dólar, o faturamento do trimestre foi de US$ 5.98 bilhões, alta de 35,87% na comparação com igual intervalo de 2016 (US$ 4.40 bilhões).

De acordo com o superintendente substituto da Suframao, Marcelo Pereira, os números precisam ser avaliados com cautela, entretanto, considera ser muito positivo verificar que houve crescimento contínuo em todos os três meses ao ano. "Ainda é prematuro cravar que já vivenciamos uma recuperação econômica, mas os dados demonstram uma sinalização positiva de retomada de produção e faturamento em direção aos níveis anteriores ao da grave crise pela qual o País passou. Esperamos continuar nessa trajetória positiva de reaquecimento", analisa.

Os dados fornecidos pelas empresas apontam que os maiores faturamentos foram obtidos nas linhas de televisor com tela de cristal líquido (US$ 1.04 bilhão e R$ 3,24 bilhões), telefone celular (US$ 687,1 milhões e R$ 2,13 bilhões) e motocicleta e motonetas, (US$ 682.8 milhões e R$ 2,12 bilhões).

O Polo Eletroeletrônico manteve a liderança, com R$ 5,27 bilhões faturados no trimestre, ao representar uma fatia 28,3% do total. Em seguida, estão os segmentos de Bens de Informática, com faturamento de R$ 3,71 bilhões e participação de 19,97%; Duas Rodas, com faturamento de R$ 2,72 bilhões e participação de 14,61%; e Químico, com faturamento de R$ 2,17 bilhões e participação de 11,66%.

Os setores que apresentaram crescimento na comparação entre o primeiro trimestre de 2017 com o mesmo intervalo de 2016 foram: Eletroeletrônico (15,54% em moeda nacional e 42,48% em dólar); Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico (26,68% e 47,78%); Duas Rodas (9,33% e 34,29%); Termoplástico (11,61% e 37,82%); Bebidas (42,18% e 76,02%); Metalúrgico (10,67% e 36,50%); Mecânico (56,09% e 93,08%); Papel e Papelão (22,61% e 51,29%); Vestuários e Calçados (16,05% e 42,95%); Editorial e Gráfico (14,48% e 40,20%); Têxtil (48,60% e 83,53%); Mobiliário (8,87% e 34,98%); Beneficiamento de Borracha (8,11% e 32,92%); Ótico (4,56% e 28,59%); Brinquedos – exceto Bens de Informática (25,90% e 53,70%); Isqueiros, Canetas e Barbeadores Descartáveis (8,86% e 33,76%); e Naval (52,68% e 86,78%).

Reprodução: Diário do Amazonas


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.