21/06/2017

Pará já perdeu mais de 10 mil vagas de empregos em 2017, aponta Dieese

Pesquisas mostram que com o saldo negativo no mês de maio, Estado já perdeu nos primeiros cinco meses de 2017 aproximadamente 10.400 postos de trabalhos.

Pará voltou a apresentar queda na geração empregos formais no último mês de maio. Com mais esta redução, o Estado já perdeu nos primeiros cinco meses de 2017 aproximadamente 10.400 postos de trabalhos. Nos últimos 12 meses, este número alcança quase 37 mil vagas de emprego perdidas.

No mês passado foram feitas 20.450 admissões contra 22.302 desligamentos, gerando um saldo negativo de 1.852 postos de trabalhos. No mesmo período do ano passado, o Estado também apresentou queda na geração de empregos formais, só que maior que o verificado este ano: saldo negativo ficou em 2.913.

As pesquisas do Dieese mostram que a maioria dos setores econômicos apresentou queda, sendo as mais expressivas nos setores da agropecuária, com queda de 1,06%; seguido do setor comércio, com queda de 0,69% e do setor serviço, com queda de 0,09%.

Mas, no mês passado, alguns setores econômicos apresentaram crescimento na geração de empregos formais, com destaque para o setor serviço, indústria e utilidade pública, com crescimento de 1,14%; seguido da construção civil, com crescimento de 0,34% em maio.

Balanço do ano

No balanço referente aos primeiros meses de 2017 – de janeiro a maio - o saldo de empregos formais também foi negativo, com a perda de 10.413 postos de trabalhos, um decréscimo de 1,42% na geração de empregos.

Nos cinco primeiros meses de 2017, a maioria dos setores econômicos do Estado Pará apresentou recuos na geração de empregos formais, com destaque para setor da construção civil, com queda de 5,34%; seguido do comércio, com queda de 2,22% e setor da indústria de transformação, com recuo de 2,20%.

Já no comparativo dos últimos 12 meses, a situação não é diferente: o saldo negativo foi de 36.672 postos de trabalhos perdidos, com um decréscimo de 4,83%. Os setores que mais demitiram nesse período foram: construção civil; com recuo de 21%; seguido do setor da indústria de transformação, com queda de 4,78%; comércio, com queda de 4,21% e agropecuária, com queda de 1,81%.

Além do Estado do Pará, o Dieese também fez o balanço nos demais estados da Região Norte. O saldo foi negativo. A exceção ficou por conta de Roraima, com saldo positivo de 761 postos de trabalhos.

No período analisado, o Pará foi quem apresentou a maior perda de empregos formais, com saldo negativo de 36.672 postos de trabalhos. Nos últimos 12 meses foram feitas em toda a Região Norte 616.831 admissões contra 678.019 desligamentos, gerando um saldo negativo de 61.188 postos de trabalhos formais, um decréscimo de 3,41%.

Reprodução: G1 Pará

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para nós. Após comentar divulgue o blog do Clube de Administração para seus amigos.